36º PubhD de Lisboa: Antropologia e História da Ciência

Quarta-feira, 5 de junho de 2019, 19:30 – 21:00, no Má Língua.

Os processos que permitem ou impedem o acesso e permanência de estrangeiros em território português, e o contexto no Portugal pós 25 de abril que conduziu ao atual sistema da investigação científica, serão os temas em conversa na sessão de junho do PubhD de Lisboa.

ATENÇÃO: O PubhD de Lisboa mudou de casa. As sessões são agora no Má Língua, na Graça.

O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento no ambiente informal de um bar, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 25 minutos para perguntas.

Os oradores

Logotipo do Instituto Nacional de Investigação Científica (1976-1992)

Hugo Soares (História da Ciência) está a pesquisar a política científica no Portugal pós 25 de abril, de 1976 a 1992, através da história do Instituto Nacional de Investigação Científica, entidade responsável pela atribuição de bolsas de investigação e pelo financiamento dos centros de investigação universitários.

Este trabalho pretende compreender o contexto que originou, não apenas a grande expansão da atividade científica no nosso país, mas também o atual sistema da investigação científica – as bolsas, o emprego científico, os estatutos de investigadores, etc. A pesquisa do Hugo poderá também informar as opções políticas nesta área para o futuro.

Hugo Soares é investigador de doutoramento no Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), na Universidade Nova de Lisboa (FCT-NOVA). A sua formação de base é em Ciências Naturais e Ciências da Educação. Desenvolve também actividade na área do livro e das técnicas de impressão.

Créditos: Ricardo Mussa (via Expresso).

Mafalda Carapeto (Antropologia do Estado) está a investigar o processo de controlo da mobilidade na fronteira externa portuguesa.

Na sua pesquisa, mais do que os dispositivos jurídicos que filtram a entrada e permanência de estrangeiros em Portugal, a Mafalda quer conhecer os processos de avaliação subjacentes à decisão, e os procedimentos que permitem ou impedem o acesso e permanência no território nacional.

Mafalda Carapeto é investigadora no programa DANT, Doutoramento em Antropologia da Universidade de Lisboa, um programa conjunto entre o Instituto de Ciências Sociais e o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. É mestre em antropologia (tese disponível aqui).

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list (apenas um e-mail por mês). Siga-nos também no Facebook.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.