23º PubhD de Lisboa

Criminologia, Ciências da Comunicação, e Design

13 de dezembro, 19h30 – 21h30, no Bar Irreal

No 23º PubhD de Lisboa vamos falar sobre a tomada de decisão dos investigadores criminais, a produção humana do quotidiano, e como o design pode informar a estratégia de sustentabilidade das pequenas e médias empresas de serviços.

O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento, ou pós-doutoramento, no ambiente informal de um bar, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 20 minutos para perguntas.

Os oradores:

Ilustração onde é utilizado o retrato de Brandon Mayfield, advogado americano que foi preso inocentemente pelo FBI após o atentado de Atocha em Madrid. Créditos: Francisco Gonçalves.

Francisco Valente Gonçalves (Psicologia e Criminologia) estuda o processo de tomada de decisão dos investigadores criminais durante o seu trabalho e de que forma a sua motivação pode ser afectada.

No sentido de evitar os erros que existem associados ao trabalho dos investigadores forenses, o Francisco está a trabalhar num conjunto de linhas orientadoras para o trabalho, recrutamento e formação de peritos forenses.

O Francisco Gonçalves é investigador de doutoramento na Universidade de Leicester, no Reino Unido. É psicólogo clínico e forense, e também empreendedor e consultor em psicologia. Tem costela alentejana, o que lhe faz ter um gosto especial por vinho e bons repastos.

Simulação de evolução empresarial: Contraste entre o ideal e o real.
Simulação de evolução empresarial: contraste entre o ideal e o real.
Créditos: Teresa Serpa.

Teresa Serpa (Design) procura aplicar o Design à elaboração de um modelo estratégico que apoie as pequenas e médias empresas de serviços portuguesas ao nível da sustentabilidade e da longevidade.

Aglomerando os contextos da própria empresa e externos, este modelo pretende ser acessível e aplicável transversalmente a empresas em diferentes estágios de desenvolvimento e áreas de actividade.

A Teresa é investigadora de doutoramento na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa. Com uma pós-graduação em Design Estratégico e Inovação, tem uma experiência profissional que cruza diversas áreas, do design industrial e de comunicação à arquitectura, publicidade, fotografia e ensino.

Gonçalo Pena (Ciências da Comunicação) está a desenvolver uma tese em filosofia do design em que reflete sobre a ética em torno da produção quotidiana.

O Gonçalo é investigador de doutoramento na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É artista plástico e foi professor na Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha. É também membro da Associação que gere o Bar Irreal, a casa do PubhD de Lisboa.

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list (apenas um e-mail por mês). Siga também o evento no Facebook.

7º PubhD de Lisboa em revista

Design e Engenharia, duas áreas com muitas afinidades, fizeram o programa do 7º PubhD de Lisboa. Em duas horas falámos sobre o eucalipto comum, o betão de barragens, e a personalização de mobiliário.

 

A regeneração espontânea do eucalipto após incêndios florestais

Vinte e seis por cento da floresta de Portugal Continental é constituída pelo eucalipto comum, disse Ana Águas, investigadora no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa.

Regeneração espontânea de eucalipto a partir de sementesOriginária da Tasmânia e com o nome científico Eucalyptus globulus Labill., esta espécie de eucalipto desenvolve-se facilmente no nosso clima temperado. A maior parte das plantações situam-se nas regiões litorais a norte do Tejo, onde as sementes germinam espontaneamente.

O Eucalyptus globulus Labill. é a espécie de eucalipto que permite a produção da melhor pasta de papel, e daqui deriva o seu alto valor económico, associado ao rápido crescimento da árvore.

Porém, esta árvore tem uma relação simbiótica com os incêndios. As cinzas que ficam no solo são favoráveis à germinação das sementes e ao desenvolvimento de novas árvores. Reciprocamente, os incêndios dependem do eucalipto, pois tanto a casca como os seus óleos são material muito combustível.

 

As propriedades do betão de barragens

Entre os vastos eucaliptais do centro do país não é raro encontrar albufeiras. Na construção das barragens a jusante foi utilizado um tipo de betão específico para suportar a força exercida por estes enormes volumes de água.

Barragem do Baixo Sabor
Barragem do Baixo Sabor

As propriedades do betão usado na construção das barragens são ainda pouco conhecidas e, por isso, estas obras de engenharia são projetadas com um nível de resistência superior à necessidade real, disse Carlos Serra, engenheiro e investigador na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e no Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

Conhecer melhor o betão de barragens permitirá optimizar os custos e o esforço na construção daquelas estruturas. A simulação por computador é um dos métodos de investigação.

As propriedades do betão usado na construção das barragens são ainda pouco conhecidas e por isso estas obras de engenharia são projetadas com um nível de resistência superior à necessidade real.

Nos seus modelos numéricos por computador, Carlos Serra não considera o betão como um material contínuo, rígido e homogéneo. Em vez disso testa o comportamento do betão como um conjunto de partículas agregadas.

Isto constitui por vezes um desafio, já que exige do computador o cálculo de dezenas de milhar de partículas. Facilmente se ultrapassam as capacidades de computação disponíveis.

Outro desafio que se coloca ao Carlos é a pesquisa dos estudos já feitos. A informação escasseia e o investigador acaba por não fazer o percurso que havia idealizado, disse Carlos Serra. O doutoramento é um desbravar do caminho possível, entre sobressaltos e incertezas, através do conhecimento que existe e com os meios à disposição.

 

Métodos de personalização de mobiliário

Da engenharia do betão, passamos à engenharia do mobiliário. A cadeira Thonet é um modelo de cadeira que no seu design já previa a combinação modular de diferentes partes, oferecendo ao consumidor um conjunto de variações.

Cadeira Thonet
Cadeira Thonet (fonte: Thonet GmbH)

Mário Barros, que recentemente concluiu o seu doutoramento em Design na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, projetou métodos que podem ser utilizados em ateliers de design para conceber produtos de mobiliário personalizáveis pelo consumidor.

Na prática trata-se de um sistema de parâmetros que pode ser configurado pelo designer e integrado no processo de engenharia e de produção. O objetivo é oferecer ao comprador um amplo leque de opções estéticas ou funcionais à sua medida.

No entanto, a indústria tradicional de produção em massa não tem forma de inserir este conceito no seu modelo de negócio. O Mário procura agora empresas que possam produzir em massa mas à medida, sem se basearem na acumulação de stocks.

 

A 11 de Maio teremos mais uma conversa, desta vez sobre Estudos Culturais, Geologia e História da Arte. Saiba mais sobre o próximo evento.

7º PubhD de Lisboa: Design, Engenharia Civil e Engenharia Florestal

Em Abril, o PubhD de Lisboa reúne Design e Engenharia num bar ao fim da tarde.

Regeneração espontânea de eucalipto a partir de sementesCompreender a forma como o eucalipto-comum, ou da Tasmânia, se naturalizou no nosso território e quais os seus impactos na floresta portuguesa, são as motivações por detrás da investigação de Ana Águas, estudante de doutoramento no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa.

Esta espécie de eucalipto tem uma forte presença em Portugal Continental em florestas de elevado rendimento. A Ana, no contexto do seu doutoramento em Engenharia Florestal e dos Recursos Naturais, está a estudar a regeneração espontânea do eucalipto a partir de sementes em áreas percorridas por incêndios florestais.

Caracterização experimental e modelação numérica do comportamento reológico do betão de barragens
Caracterização experimental e modelação numérica do comportamento do betão de barragens

Pelas palavras do Carlos Serra, estudante de doutoramento em Engenharia Civil, ficaremos a saber que existe um tipo de betão específico usado na construção de barragens e como é que as suas propriedades são estudadas.

A resposta e a resistência do betão de barragens a diferentes tipos de acções e forças exteriores são analisadas recorrendo a modelos experimentais e simulações por computador, trabalho que o Carlos está a desenvolver na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

Este conhecimento é importante não só para a concepção da estrutura da barragem a construir, como ao longo do tempo de vida útil da mesma no apoio à previsão do seu comportamento.
Saber mais »

Sistema de Design Generativo
Modelo desenvolvido para a personalização em massa na indústria do mobiliário.

Mário Barros irá falar-nos sobre produtos feitos à medida do consumidor e produzidos em reposta à procura, ou seja, apenas quando o consumidor compra o produto.

Os métodos que o Mário desenvolveu, no contexto do seu doutoramento em Design, serão úteis para ateliês de design e também empresas, sejam de mobiliário, de produtos electrónicos, ou até de equipamentos médicos.

O Mário concluiu o seu doutoramento na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa.
Saber mais »

No BIBO Bar, no próximo dia 13 de Abril, às 19h30, venha ouvir e conversar sobre três temas que estão a ser investigados em Lisboa. Informações também na página do próximo evento.

Agradecemos que confirme a sua presença na página do evento no Facebook:
https://www.facebook.com/events/1591880494462066/

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list.