19 histórias de curiosidade: vamos imprimir-lhes futuro?

Ainda não existe, não é real, está no ovo, mas com todos os que já nos apoiaram, e nos vão apoiar, queremos fazê-lo sair da casca. Faltam 5 dias!

Livro PubhD de Lisboa 2018

Obrigado a todos os que acreditam que esta deve ser mais do que uma ideia!

O livro PubhD de Lisboa 2018 expõe a diversidade da investigação académica em Lisboa e não só, e leva a partilha do conhecimento em construção para fora das paredes do bar.

Poderá tornar-se realidade se conseguir ser publicado através da ação de crowdfunding. Esta é mais uma forma de estreitar a comunidade em torno de um projeto sem fundos próprios e que se mantém com a energia dos seus organizadores voluntários.

Contamos convosco, até 17 de junho. Continuem a partilhar. Obrigado!

https://ppl.pt/prj/livropubhdlisboa2018


A Leuchtturm1917 apoia o livro PubhD de Lisboa 2018 oferecendo à Cirenia Arias Baldrich, autora dos desenhos, cadernos personalizados com o nome dela. Obrigado!

Anúncios

36º PubhD de Lisboa: Antropologia e História da Ciência

Quarta-feira, 5 de junho de 2019, 19:30 – 21:00, no Má Língua.

Os processos que permitem ou impedem o acesso e permanência de estrangeiros em território português, e o contexto no Portugal pós 25 de abril que conduziu ao atual sistema da investigação científica, serão os temas em conversa na sessão de junho do PubhD de Lisboa.

ATENÇÃO: O PubhD de Lisboa mudou de casa. As sessões são agora no Má Língua, na Graça.

O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento no ambiente informal de um bar, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 25 minutos para perguntas.

Os oradores

Logotipo do Instituto Nacional de Investigação Científica (1976-1992)

Hugo Soares (História da Ciência) está a pesquisar a política científica no Portugal pós 25 de abril, de 1976 a 1992, através da história do Instituto Nacional de Investigação Científica, entidade responsável pela atribuição de bolsas de investigação e pelo financiamento dos centros de investigação universitários.

Este trabalho pretende compreender o contexto que originou, não apenas a grande expansão da atividade científica no nosso país, mas também o atual sistema da investigação científica – as bolsas, o emprego científico, os estatutos de investigadores, etc. A pesquisa do Hugo poderá também informar as opções políticas nesta área para o futuro.

Hugo Soares é investigador de doutoramento no Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), na Universidade Nova de Lisboa (FCT-NOVA). A sua formação de base é em Ciências Naturais e Ciências da Educação. Desenvolve também actividade na área do livro e das técnicas de impressão.

Créditos: Ricardo Mussa (via Expresso).

Mafalda Carapeto (Antropologia do Estado) está a investigar o processo de controlo da mobilidade na fronteira externa portuguesa.

Na sua pesquisa, mais do que os dispositivos jurídicos que filtram a entrada e permanência de estrangeiros em Portugal, a Mafalda quer conhecer os processos de avaliação subjacentes à decisão, e os procedimentos que permitem ou impedem o acesso e permanência no território nacional.

Mafalda Carapeto é investigadora no programa DANT, Doutoramento em Antropologia da Universidade de Lisboa, um programa conjunto entre o Instituto de Ciências Sociais e o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. É mestre em antropologia (tese disponível aqui).

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list (apenas um e-mail por mês). Siga-nos também no Facebook.

O livro PubhD de Lisboa 2018

No calor do verão, polvilhe as férias com curiosidade. O livro PubhD de Lisboa 2018 tem de tudo – ciências, humanidades, engenharias e artes – os 19 temas de conversa nas sessões PubhD de Lisboa de 2018.

Como é que partículas de ouro podem curar o cancro? Qual a utilização do software open-source nas rádios comunitárias? Que impacto está a ter o aquecimento dos oceanos nos ecossistemas do Pacífico? Com que fragmentos se faz uma história do vidro? As respostas a estas e a outras perguntas estão no livro PubhD de Lisboa 2018.

As ilustrações de Cirenia Arias Baldrich e os textos de Sérgio Pereira juntam-se num livro que é uma extensão no tempo e no espaço da magia que é o projeto PubhD de Lisboa.

Biologia marinha, ciência política, engenharia do ambiente, arquitetura ou astrofísica são apenas algumas das áreas em foco em 2018, com identificação dos investigadores e dos centros onde realizam o seu trabalho. Faça com que estas páginas se abram e espalhem curiosidade!

Torne-o real apoiando com o que puder na angariação de fundos através da plataforma de crowdfunding PPL, em:

Queremos imprimir pelo menos 300 exemplares, a enviar por correio ou a entregar-lhe pessoalmente na sessão de lançamento a ter lugar em julho no Má Língua, em Lisboa, ou nas sessões regulares do PubhD de Lisboa.

O modelo de apoio da plataforma PPL é “tudo ou nada” – o livro PubhD de Lisboa 2018 só será publicado se o valor pedido for atingido, de contrário, os apoios serão integralmente devolvidos aos apoiantes.

Muito obrigado!

A tempo de o ler na praia ou na tenda, cabe na mala ou na mochila:

• Formato horizontal, 16 x 11,5 cm
• 40 páginas (19 ilustrações)
• Papel 120 gr/m2
• Impresso em Portugal


O PubhD de Lisboa é uma iniciativa gratuita, sem fundos próprios, organizada em regime voluntário, no tempo livre, e com muita paixão, por Sérgio Pereira, Carolina Figueira e Inês Leitão.
Facebook: https://www.facebook.com/PubhDLisboa/

Twitter: https://twitter.com/PubhDLisboa

Cirenia Arias Baldrich é cientista e desenhadora, produzindo desenhos e animações que comunicam temas de ciência de forma descontraída. Ela está no Facebook e no Twitter.

35º PubhD de Lisboa Comunicação de Ciência, e Fusão Nuclear

Quarta-feira, 10 de abril de 2019, 19:30 – 21:00, no Má Língua.

Água como combustível na produção de energia limpa e segura através da fusão nuclear, e uma nova comunidade profissional que estabelece laços entre a ciência e a sociedade, serão os temas em conversa na sessão de abril do PubhD de Lisboa.

ATENÇÃO: O PubhD de Lisboa mudou de casa. As sessões são agora no Má Língua, na Graça.

O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento e pós-doutoramento no ambiente informal de um bar, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 25 minutos para perguntas.

Os oradores

Interior do maior dispositivo de pesquisa experimental de Fusão Nuclear, o JET (Joint European Torus), situado em Culham, no Reino Unido.
Interior do maior dispositivo de pesquisa experimental de Fusão Nuclear, o JET (Joint European Torus), situado em Culham, no Reino Unido. Durante a operação do JET, este torna-se o local mais quente do sistema solar. Créditos: EUROfusion (https://www.euro-fusion.org/)

Luís Guimarãis (Fusão Nuclear) está a trabalhar no desenvolvimento de uma fonte de produção de eletricidade que seja barata e que não produza gases causadores de efeito de estufa.

O combustível será a água e o processo será a fusão nuclear, um processo seguro e limpo de produção de energia, semelhante ao que ocorre no interior do Sol, e que é objeto de um grande esforço mundial para que se torne realidade.

O Luís é investigador de pós-doutoramento no Instituto Superior Técnico e no Max-Planck Institut fur Plasmaphysik. Com formação em física e engenharia, o seu principal interesse de investigação é o diagnóstico e análise de dados de fusão nuclear.

Feira de Ciência em Washington.
Feira de Ciência em Washington, Laboratório Nacional de Oak Ridge. Créditos: Genevieve Martin/ORNL

Manuel Leite Valença (Comunicação de ciência) está a estudar os profissionais que trabalham na área da comunicação e que estão ligados a instituições de investigação ou divulgação científica em Portugal.

Esta é uma comunidade profissional emergente no nosso país, por conseguinte ainda pouco conhecida, mas que assume uma importância crescente na ligação entre a ciência e a sociedade.

O Manuel é investigador de doutoramento no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. É ele próprio comunicador de ciência, com experiência tanto em centros de ciência como em instituições universitárias.

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list (apenas um e-mail por mês). Siga-nos também no Facebook.

34º PubhD de Lisboa Biotecnologia, e História e Filosofia da Matemática

Quarta-feira, 13 de março de 2019, 19:30 – 21:00, no Má Língua.

As tecnologias de diagnóstico em saúde através de sensores extremamente pequenos, e a evolução dos problemas em matemática através da matemática recreativa, serão os temas em conversa na sessão de março do PubhD de Lisboa.

ATENÇÃO: O PubhD de Lisboa mudou de casa. A próxima sessão será já no Má Língua, na Graça.

O PubhD de Lisboa reúne investigadores de doutoramento no ambiente informal de um bar, para explicarem a sua investigação em linguagem acessível e responderem a perguntas. Cada apresentação terá a duração de 10 minutos, seguida de 25 minutos para perguntas.

Os oradores

Rui Oliveira Silva (Biotecnologia) investiga o desenvolvimento de sensores à base de partículas extremamente pequenas (nanopartículas) que possam ser utilizados no corpo humano.

 

Estes sensores permitirão o diagnóstico rápido e preciso de determinadas doenças, assim como a monitorização da temperatura durante tratamentos localizados recorrendo a temperaturas elevadas.

O Rui é investigador no programa doutoral BIOTECnico no Instituto de Bioengenharia e Biociências (IBB) do Instituto Superior Técnico (IST). É mestre em biotecnologia molecular pela Universidade de Aveiro. Atualmente tem uma participação ativa no programa da universidade de verão e laboratórios abertos do IST.

Exemplo de “anéis chineses”, cujo objetivo consiste em libertar um cordel fechado de uma sequência de anéis em pilares interligados.
Exemplo de “anéis chineses”, cujo objetivo consiste em libertar um cordel fechado de uma sequência de anéis em pilares interligados. Crédito: Merkel (CC BY-SA 3.0)

Tiago Hirth (História e Filosofia da Matemática) procura contribuir para o conhecimento sobre a origem, evolução e pedagogia dos problemas em matemática, estudando casos concretos de matemática recreativa ao longo da História.

O Tiago é investigador de doutoramento no Departamento de História e Filosofia da Ciência da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Tem participado ativamente em ações de comunicação e divulgação nacionais e internacionais, com destaque para o Circo Matemático. É também mágico, malabarista e pratica Aikido e Bal-folk.

Se quiser estar sempre a par dos próximos eventos do PubhD de Lisboa, subscreva a nossa mailing list (apenas um e-mail por mês). Siga-nos também no Facebook.